Abdominoplastia

Abdome e Mini-Abdome

A cirurgia plástica do abdome, também conhecida como abdominoplastia ou dermolipectomia abdominal , trata a região do abdome, corrigindo a flacidez produzida pela idade, obesidade ou, mais freqüentemente, pela gravidez.

A incisão da abdominoplastia deve passar baixa na porção mais mediana (próximo ao púbis), e subir nas laterais, passando por cima do umbigo, sendo este reposicionado em seu novo local na pele, deixando portanto uma cicatriz umbilical. A nível muscular, realizamos a plicatura das duas bandas do músculo reto abdominal que, em maior ou menor grau, geralmente estão afastados, especialmente após gestações, proporcionando correção da flacidez muscular da parede abdominal. A cicatriz, apesar de relativamente grande, quando bem posicionada e bem cuidada, oferece um excelente resultado estético, permitindo inclusive o uso de biquínis.

É importante lembrar que uma cicatriz somente começa a melhorar esteticamente após o terceiro mês, passando então a uma coloração rósea no sexto mês e, somente ao final de um ano, poderá ter uma aparência bastante discreta.

O mini-abdome é uma cirurgia que se aplica aos casos em que não há um excedente de pele suficiente para a cirurgia convencional e não há necessidade de correção da musculatura. Nesses casos, é feita uma retirada de pele menor, apenas da região inferior do abdome, com uma cicatriz que é pouco maior que a cicatriz de uma cesariana.

Seguem abaixo algumas orientações básicas, que visam esclarecer as dúvidas mais comuns dos pacientes a respeito da cirurgia, para que possamos ter um pós-operatório tranqüilo e uma rápida recuperação, com o melhor resultado estético.

Primeiras 24 horas

  • Continue com a medicação prescrita, logo após a cirurgia;
  • A alimentação é normal, devendo porém ser leve e em pequena quantidade, para evitar vômitos, principalmente nas primeiras horas após a cirurgia;
  • Quando se levantar, como para ir ao banheiro, ter sempre alguém por perto, pois a cirurgia pode causar uma instabilidade na pressão arterial, provocando mal-estar ao ficar na posição vertical (em pé);
  • Não forçar a musculatura abdominal, principalmente ao sentar ou levantar-se. Nestes casos deve sempre apoiar-se com os braços;
  • Cuidado ao tossir ou espirrar, devendo realizá-los com muita sutileza, a fim de evitar rompimento de suturas;
  • Mantenha a cabeceira elevada a 45 graus ou dois travesseiros grandes e coloque um travesseiro embaixo dos joelhos;
  • Repouso no leito, evitando a movimentação excessiva.

Após 72 hs da cirurgia, em geral é marcado o primeiro retorno, após o qual você geralmente poderá banhar-se normalmente, lavando a região operada com o sabão anti-séptico recomendado e tendo o cuidado de secar bem a região antes de repor a cinta, protegendo as cicatrizes com uma fina camada de micropore. No umbigo, deve ser colocada uma gaze com a ponta para dentro .

Os pontos são retirados entre o sétimo e décimo dia de pós-operatório. A posição de dormir deve ser de barriga para cima até que lhe seja autorizada alguma outra.

Evite, também, por trinta dias, dirigir, pegar objetos pesados ou fazer qualquer esforço que tracione direta ou indiretamente a região operada. A liberação para a prática de atividade física será de acordo com cada caso.